O sistema combina manejos que captam água da chuva usada na agropecuária

Canindé. Este município lidera no Estado em número de cisternas de enxurrada, implantadas pela Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA), com o objetivo de viabilizar a implantação dos quintais produtivos e estimular a agricultura familiar.

Segundo o titular da SDA, Nelson Martins, já foram construídas 162 cisternas de enxurradas no município. Em maio, o programa autorizou a implantação de mais 465 cisternas neste modelo de tecnologia, somando-se a outras 109 que já vinham em processo de construção. “Canindé passará a ser o município do Ceará com maior número de cisternas de enxurradas do Estado. Serão 736 unidades construídas”, informa o secretário.

Para o prefeito interino Pedro do Germano, as cisternas trazem benefícios como a oportunidade do agricultor produzir alimentos para serem vendidos na feira da agricultura familiar, bem como no uso da merenda escolar. “A nossa parceria com o governador Cid Gomes traz muitos resultados para Canindé. Essas cisternas não resolvem os problemas de ontem e de hoje, mas os de amanhã. Se tivermos muitas cisternas, vamos garantir que as comunidades tenham água por muito tempo”, diz o prefeito.

Tecnologia rural

Cisterna de enxurrada é uma tecnologia social que serve para armazenar água da chuva e tem ajudado a melhorar a qualidade de vida de muitas famílias de agricultores no semiárido brasileiro. O terreno é utilizado como área de captação e, para filtragem da água, são construídos tanques de decantação. Essa água escoa por meio de canos até a cisterna, que tem capacidade para armazenar 52 mil litros do líquido.

A água da cisterna de enxurrada é destinada à criação de pequenos animais, cultivos de hortaliças, plantas medicinais e beneficiamento de frutas.

O equipamento é construído dentro da terra, ficando somente a cobertura de forma cônica acima da superfície. O terreno é utilizado como área de captação. Quando chove, a água escorre pela terra e, antes de cair para a cisterna passa por duas ou três pequenas caixas, uma seguida da outra, que são os decantadores. Os canos instalados auxiliam o percurso da água que escoa para dentro do reservatório.

A retirada da água da cisterna enxurrada é feita por meio de uma bomba de repuxo manual. ”É sem dúvida uma grande ajuda que as autoridades asseguram para nós porque quem tem coragem para trabalhar, garante alimento o ano inteiro”,

”A região semiárida é marcada pela irregularidade das precipitações pluviométricas, concentradas geralmente em um curto período do ano, o que faz com que ocorram grandes períodos de escassez de água. Durante décadas prevaleceu uma imagem distorcida da região semiárida, um lugar seco e pobre, sem nenhuma perspectiva de sobrevivência para os moradores da região, no entanto iniciativas dos movimentos sociais e ONGs têm demonstrado que o semiárido é uma região rica, com grandes perspectivas de sobrevivência, basta, no entanto, saber aproveitar as potencialidades dessa região que possui uma grande diversidade ambiental e cultural”, observa Pedro do Germano.

O trabalho tem avaliado os impactos das cisternas de enxurradas na vida das famílias, especialmente no que se refere ao acesso a alimentos. A primeira pesquisa realizada no Nordeste foi desenvolvida na zona rural do município de Teofilândia, na Bahia, nas comunidades Bola Verde, Brasa, Vargem Velha, Barreiro, Boa Esperança e Junco, com 13 famílias beneficiadas com a cisterna de enxurrada em suas propriedades.

Mais informações

Prefeitura Municipal de Canindé
Largo Francisco Xavier de Medeiros
Bairro Imaculada Conceição
Telefone: (85) 3343.0675

Comunidades têm qualidade de vida

A metodologia para a primeira pesquisa realizada na Bahia sobre a utilização da cisterna de enxurrada consistiu de visitas às propriedades e aplicação de questionários, onde concluiu-se que mudanças significativas ocorreram nas comunidades em estudo, no que se refere ao acesso a alimentos por parte dos agricultores e agricultoras familiares, a partir da introdução da tecnologia em suas propriedades, muito embora se faça necessária a implantação de políticas públicas que promovam e garantam aos agricultores o acesso à terra e à água para produção de alimentos, fixando-os em suas origens espaços-culturais , como forma de garantir autonomia, qualidade de vida e dignidade ao cidadão.

Depois que chegou ao Ceará, a vida de muitas famílias mudou e para melhor, é o caso de Cícero Almeida de Sousa de 48 anos. Para ele, ter a sabedoria de produzir, com persistência e senso de oportunidade. Esse é o principal conceito da agricultura de subsistência, que alcança milhares de famílias instaladas no semiárido. Em Canindé, são diversos os exemplos daqueles que, apesar dos avanços tecnológicos, superam as crises, especialmente a irregularidade das chuvas, vivem em sintonia com o meio ambiente e, principalmente, mantêm a sustentabilidade financeira.

Cícero tira da terra, o sustento e os recursos para tocar sua vida e da família. A renda dos produtos orgânicos é utilizada para manter sua família. “Estou muito feliz com esse meio de trabalho, porque tenho aplicado com disciplina os recursos que ganho com minha horta”, comemora o agricultor.

Toda a produção vem de uma área de 2,5 hectares com o apoio de uma cisterna de enxurrada. “Planto milho, feijão, tomate, pimentão, cebolinha, coentro, pimenta de cheiro, entre outros produtos caseiros”‘, diz o produtor, que mora no Assentamento Fé na Luta. O trabalho chega a render para Cícero Almeida até R$ 1.200,00 por mês. As vendas são feitas na comunidade.

Antônio Carlos Alves
Colaborador

Rádio Cultura dos Inhamuns Ltda.

Av. Moacir Pereira Gondim 333 || Planalto dos Colibris || Telefones/Fax: (88) 3437 – 1346 e 3437 – 1347

Celular (88) 9719 2020 || E-mail: rcultura@usedata.com.br

Desenvolvido pela Auranet hospedagem de sites