Possibilidade de continuar chovendo até o fim do mês em todo o Estado do Ceará.

A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) registrou, ontem, chuva em 26 municípios do Estado. As maiores precipitações ocorreram nas regiões Inhamuns e Centro-Sul. São eventos de pré-estação (novembro, dezembro e janeiro), mas raros por terem sidos provocados pela aproximação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT). A previsão para o fim de semana é de mais chuva no Ceará.

De acordo com a Funceme, as dez maiores chuvas foram observadas em Tauá (60mm); Arneiroz (57.5mm), Catarina (53.0mm), Orós (50.0mm), Mombaça (38.0mm), Pires Ferreira (32mm), Farias Brito (30.6mm), Iguatu (22mm), Cedro (20mm) e Acopiara (17mm). Para hoje (24), a Funceme prevê tempo nublado com possibilidades de chuvas na região Centro-Norte. Nas demais regiões, céu entre parcialmente nublado e claro. Já para o domingo (25), o tempo deve apresentar nebulosidade variável com eventos de chuva em todo o Estado.

O meteorologista e chefe da Unidade de Tempo e Clima da Funceme, Raul Fritz Teixeira, explicou que há possibilidade de continuar chovendo até o fim do mês em todo o Estado e o principal fator é aproximação da ZCIT da costa do Nordeste. “Houve uma proximidade da Zona de Convergência que desceu um grau do Equador e, associada às áreas de instabilidades e condições atmosféricas favoráveis (vento, umidade do ar), houve a formação de nuvens de chuvas”.

Raul Fritz observa que não é comum, nesta época do ano, a aproximação da ZCIT da costa do Nordeste. “Não é frequente e estamos analisando os fatores, buscando uma explicação”, comenta. Para o período de pré-estação chuvosa geralmente ocorrem formação de Vórtices Ciclônicos de Altos Níveis e influência de sistemas frontais de Zona de Confluência do Atlântico Sul (frente fria) a partir da Bahia que traz chuvas para o Sul do Estado (Cariri cearense).

A ZCIT é uma banda de nuvens que circunda a faixa equatorial do globo terrestre, formada principalmente pela confluência dos ventos alísios do Hemisfério Norte com os ventos alísios do Hemisfério Sul. É o principal sistema que provoca precipitações durante a quadra chuvosa (fevereiro a maio) no Ceará.

El Niño

Fritz lembra que o fenômeno El Niño, que decorre do aquecimento das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial, está em formação e deve atuar nos meses em que mais chovem no Ceará (março e abril). “Já temos água aquecida no Oceano Pacífico e falta acoplar ao fato atmosférico para sua formação”, explica. “Por isso é importante que ocorram boas chuvas no período de pré-estação e em fevereiro para possibilitar recarga dos açudes”.

O fenômeno meteorológico El Niño exerce forte influência nas chuvas no Ceará, reduzindo a quantidade pluviométrica, provocando período de estiagem.

No campo, independente das análises e prognósticos da meteorologia, a chuva que caiu ontem animou os agricultores. “Além de suavizar o calor intenso, é indício de um bom inverno”, declarou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Iguatu, Evanilson Saraiva.

DN

Rádio Cultura dos Inhamuns Ltda.

Av. Moacir Pereira Gondim 333 || Planalto dos Colibris || Telefones/Fax: (88) 3437 – 1346 e 3437 – 1347

Celular (88) 9719 2020 || E-mail: rcultura@usedata.com.br

Desenvolvido pela Auranet hospedagem de sites