Cadastro positivo trará mais segurança às operações, avalia comércio

Com a possibilidade de conhecer melhor a situação financeira dos clientes, representantes do comércio no Ceará comemoram a sanção do projeto que prevê a inclusão obrigatória de todos os consumidores (pessoas físicas e empresas) no cadastro positivo, composto por bons pagadores e com informações sobre pagamentos em dia e empréstimos quitados. Porém, para órgãos de defesa do consumidor, a inclusão compulsória viola o direito à privacidade consagrado na Constituição Federal.

Para o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), Maurício Filizola, a medida representa um custo diferenciado tanto para as pessoas físicas quanto para as empresas. “Isso faz com que ela possa estar utilizando o sistema bancário a um custo coerente com o mercado”, explica.

Ele acrescenta que o custo de pegar dinheiro emprestado no País tanto para pessoa física quanto para jurídica é muito alto. “Se há um mecanismo como esse, cuja avaliação facilita o processo, a Federação vê com bons olhos e como positiva a homologação da lei”, pontua Filizola.

O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL-CE), Freitas Cordeiro, afirma que a aprovação é o coroamento de uma demanda antiga do setor. “Isso vem parear o Brasil com as economias mais avançadas. Em nossas operações, nós só podíamos consultar informações negativas. Imagina oferecer um crédito a alguém que eu não conheço. Só sei que ele não tem nenhum registro, mas ele pode estar no esgotamento da capacidade dele”, afirma.

Freitas ainda diz que às vezes deixava de operar com alguém que tinha uma restrição, mas que, em contrapartida, tinha condições de honrar aquela operação.

Rádio Cultura dos Inhamuns Ltda.

Av. Moacir Pereira Gondim 333 || Planalto dos Colibris || Telefones/Fax: (88) 3437 – 1346 e 3437 – 1347

Celular (88) 9719 2020 || E-mail: rcultura@usedata.com.br

Desenvolvido pela Auranet hospedagem de sites