Juíza proíbe o ingresso de presas na cadeia pública de Tauá

A juíza Ana Célia Pinho Carneiro, em respondência pela 1ª Vara da Comarca de Tauá (a 410 Km de Fortaleza), proibiu o recebimento de mulheres para custódia na cadeia local, inclusive as que cumprem pena em regime semiaberto, sob pena de responsabilização em nível administrativo, cível e penal. A medida consta na Portaria nº 3/2014, publicada no Diário da Justiça Eletrônico nessa segunda-feira (13/10).

O documento determina que, após a homologação do flagrante, as presas sejam transferidas diretamente para o presídio Auri Moura Costa, em Fortaleza. Também proíbe o recebimento de pessoas presas em razão de dívida alimentar ou por outras questões cíveis, tendo em vista ausência de condições para a manutenção em separado, como determina a lei.

A magistrada ordenou ainda que haja remanejamento dos presos à cela antes destinada à custódia feminina visando amenizar os efeitos da superlotação da unidade prisional, sendo observada a preferência para eventuais detentos em situação de ameaça à integridade física.

A medida considera a informação prestada pelo administrador da cadeia dando conta da superlotação daquele estabelecimento penal, bem como as precárias instalações, o que gera clima de insegurança, sobretudo às presas. Também leva em conta a recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de que locais destinados às mulheres deverão estar separados daqueles reservados aos homens.

 Fonte Tribunal de Justiça do Ceará

Rádio Cultura dos Inhamuns Ltda.

Av. Moacir Pereira Gondim 333 || Planalto dos Colibris || Telefones/Fax: (88) 3437 – 1346 e 3437 – 1347

Celular (88) 9719 2020 || E-mail: rcultura@usedata.com.br

Desenvolvido pela Auranet hospedagem de sites